Vitrine

Lourdes Nicácio

Editora Executiva
lourdesnicacio10@bol.com.br

Professora, escritora, poeta, editora. Formação em Letras com Pós-Graduação. Seus livros, estudados nas escolas e universidades, renderam prêmios em Pernambuco e no Rio de Janeiro, homenagens e atividades como peças de teatro na Faculdade São Miguel e monografia na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), além de Troféu no I Congresso de Literatura Brasileira/Secretaria de Educação de Pernambuco. Das homenagens: Diploma Mulheres que Mudaram a História de Pernambuco – Associação de Imprensa de Pernambuco – AIP, 2012   Troféu Mulher Valorosa do Brasil – Academia de Letras e Artes do Nordeste – Alagoas, 2015,  Comenda de Santelmo do Mérito Literário-Academia Recifense de Letras, 2017.

Livros publicados: O Lavrador e o Templo, Cantos da Ordem do Sol, Ritmo das Águas Vivas, Ocultos na Paisagem (poesia), Almeida Cunha (ensaio), O rio, Canabrava e os Homens (contos), Os Caminhos da Palavra (gramática e literatura), Sobreviventes (contos) e Os dois mundos  de  Madalena (romance) aprovado pelo SIC-Fundarpe, em 1999, hoje na 6ª edição, adotado também pela Rede Pública de Pernambuco/ Secretaria de Educação do Estado.

 Organizou a obra completa do poeta Audálio Alves e a do professor João Suassuna de Melo Sobrinho, além de várias antologias com outros autores.

Votos de Congratulações: da Assembleia Legislativa de Pernambuco, do Conselho Municipal de Cultura e da Academia Pernambucana de Letras. Idealizou e coordenou, em parceria com a acadêmica Maria do Carmo Barreto Campello de Melo,  o Programa  Academia Escolas da Academia Pernambucana de Letras ( 1982-1990).

Atuou como professora do Centro de Ensino Superior do Vale do São Francisco – CESVASF, da Escola Superior de Relações Públicas e da Fundação de Ensino Superior de Olinda – Funeso. Membro da Academia de Letras do Brasil/PE e da Academia Recifense de Letras – ARL.

 

Olimpio Bonald da Cunha Neto

Nasceu em outubro de 1932, em Olinda – PE.

É procurador aposentado do Denit, professor universitário aposentado, além de escritor, conferencista, jornalista e pintor.

É sócio fundador da Academia Olindense de Letras e do Instituto Histórico de Olinda, fundador do Centro de Estudos de História Municipal, fundador e vice-presidente da Fundação de Ensino Superior de Olinda – Funeso, vice-presidente do Conselho da Fundação de Preservação dos Sítios Históricos de Olinda, tendo sido presidente da Fundação de Cultura da Cidade do Recife.

Membro da Academia Olindense de Letras, ao Instituto Histórico de Olinda, da Comissão Nacional do Folclore, União Brasileira de Escritores, da Academia Pernambucana de Letras, da Academia Recifense de Letras e da Academia de Letras e Artes dos Nordeste.

Premiado pela SEE, pela APL, pela prefeitura de Olinda. Como pintor participou de exposições individuais e coletivas. Foi premiado no primeiro Salão Global, 1974, com Menção Honrosa.

Diplomas de Presidente Emérito e da Ordem do Mérito Literário Jorge de Albuquerque Coelho (UBE-PE).

Livros publicados: Dura e breve história da Ilha do Maruim, Sangue e sonhos reinventados, O livro da poesia de Olimpio Bonald Neto, Ideologia dos anos 30, Bacamarte Pólvora e Povo, Latrinária, Cultura, Turismo e Tempo, Uma lembrança de flor, Seresta em tempo de caju, O homem que devia ter morrido há 3 anos, Gigantes foliões em Pernambuco, Tango – Regae y outros Cuentos, Estudo da cor na zona da Mata Sul Pernambucana.

Colaborou em revistas, jornais e antologias nacionais e estrangeiras.

Waldemar Freire Lopes

Segundo o poeta e amigo de sua geração, Carlos Drummond de Andrade, sua obra é considerada como “ ouro de palavras, raro e nobre lavor. Com que arte recolocou o soneto em sua antiga dignidade!” e ainda na opinião de Gilberto Freyre, ele representa  um “sonetista dos maiores deste país”. 

Nascido em 1.º de fevereiro de 1911, é natural de Peri-Peri, então município de Quipapá, hoje pertencente a São Benedito do Sul, Pernambuco, faleceu no Recife, em 21 de outubro de 2006, aos 95 anos de idade. Parte da sua formação intelectual foi iniciada em Pernambuco e completada no Rio de Janeiro, com diversos campos de interesse: jornalismo, literatura, administração pública, economia, sociologia rural e direito internacional público. Também foi diplomado no Curso Superior de Guerra pela Escola Superior de Guerra, do Estado Maior das Forças Armadas, turma de 1951.

Desde muito jovem, colaborou em jornais e revistas de Pernambuco e Estados vizinhos. Em 1938, foi editorialista  e Secretário do Jornal do Commercio, do Recife, e representante do jornal A Noite do RJ, Vice-Presidente da Associação de Imprensa de Pernambuco, Secretário-Geral do Núcleo Pernambucano  da Sociedade dos Amigos de Alberto Torres e Delegado Especial da Diretoria de Estatística do Ministério da Agricultura.

No Rio de Janeiro, onde residiu durante longos anos, ocupou vários cargos na alta direção do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, entre os quais os de Diretor da Secretária-Geral do IBGE, Secretário-Geral do Conselho Nacional de Estatística  e Diretor-Geral do Serviço Nacional de Recenseamento. Foi membro da Comissão Censitária Nacional e da Comissão Nacional de Política Agrária.

 Atuou na imprensa carioca durante alguns anos, tendo sido, também, diretor daRevista Brasileira de Estatística e da Revista Brasileira dos Municípios, além de diretor-secretário, por dez anos, da Síntese Política , Econômica e Social ( primeira fase), da Pontifícia Universidade Católica.

Serviu à Organização dos Estados Americanos de 1954 a 1976, inclusive como diretor de seu Escritório no Brasil e representante de sua Secretaria-Geral junto ao Governo brasileiro  no Rio de Janeiro e em Brasília. Representou o Brasil no Committee on Improvment of National Statistics nos Estados Unidos, tendo presidido a reunião desse comitê em 1954.

Pertencia a várias instituições técnicas e culturais tanto no Brasil como no Exterior:  Estados Unidos, França e Portugal. Em Brasília, exerceu os cargos de Presidente do Clube de Poesia ( dois mandatos), de Vice-Presidente da Associação Nacional de Escritores e de Secretário-Geral da Academia Brasiliense de Letras.

Em Teresópolis, RJ, foi Presidente da Academia Teresopolitana de Letras ( três mandatos) e do Conselho Municipal de Cultura. É cidadão honorário daquela cidade fluminense, onde exerceu intensa atuação cultural e a que doou grande parte de sua biblioteca particular. O mesmo título lhe foi concedido pelos municípios de Palmares e Cachoeirinha ( Pernambuco).

É detentor de várias homenagens, distinções honoríficas e também de prêmios literários, na área da poesia. Por ato do Governo de Pernambuco, seu nome figura entre os agraciados da Ordem do Mérito dos Guararapes, no grau de Comendador.

Apesar da longa interrupção verificada em suas atividades literárias, em razão das inúmeras funções que exerceu durante muitos anos, tanto no jornalismo quanto nos setores da administração pública e de cooperação internacional, tem diversas obras publicadas, em prosa e verso. Seu livro de estreia é de 1929. Em 1971, publica Sonetos do Tempo Perdido, em que o poeta e amigo Manuel Bandeira diz que os sonetos dessa obra “representam poesia da melhor escrita no Brasil”.

Membro da Academia Pernambucana de Letras, da qual foi Vice-Presidente e diretor da revista, da Academia de Artes e Letras do Nordeste Brasileiro e da Sociedade de Médicos Escritores, Pernambuco ( sócio honorário).

Foi também sócio correspondente da Academia Alagoana de Letras, da Academia Paraibana de Letras e da Academia de Letras da Bahia. Ocupou na Academia Brasiliense de Letras a Cadeira número 19, que tem como patrono Castro Alves.

Pertencia também à  Associação Internacional dos Amigos de Ferreira de Castro (Portugal), cujo Pelouro Cultural integrou, durante anos. Alguns dos seus versos estão no monumento de homenagem ao escritor Ferreira de Castro, na cidade do Porto, Portugal.

                >>  Das principais obras do autor:

 

  • Legenda. Tipografia Ideal, 1929.
  • Sonetos do Tempo Perdido
    (Prêmio do PEN-Clube do Brasil). Editorial Palmares,  1971.
  • Inventário do Tempo. Lia Editor, 1974.
  • Os Pássaros da Noite ( Prêmio da Fundação Cultural do Distrito Federal). Clube de Poesia de Brasília, 1974.
  •  Sonetos de Despedida, Brasília, 1976.
  • Sonetos do Natal, Rio de Janeiro, 1977.
  •  Elegia para Joaquim Cardozo, Edições Cadernos da Serra,  1979.
  • O Jogo Inocente (Alexandrinos com dedicatórias). Edições Cadernos da Serra,  1979.
  • Memória do Tempo (Cento e três sonetos), Padrão Livraria Editora, 1981.
  • Sonetos de Portugal, 1ª edição, Clube de Poesia e Crítica de Brasília, Gráfica Pedra do Sino, Teresópolis, RJ, 1983; 2ª edição, Academia Pernambucana de Letras, Editora Comunicarte, Recife, PE, 1994; 3ª edição, Academia Brasiliense de Letras, Brasília, DF, Editora Comunicarte, Recife, PE, 1995; 4ª edição, Ed. Novo Horizonte, PE, 2005.
  •  As Dádivas do Crepúsculo – Editora Bagaço, 1996.
  •  A Flor Medieval – Editora Comunicarte, 1996.
  • Sombras da Tarde – Editora Livros de Amigos, 1999.
  • Cinza de Estrelas – Editora Livros de Amigos, 2001.
  • Tradução: Canto a Brasília, de Carlos Manini-Rios, 1973.
  • PROSA VARIADA DE ONTEM E DE HOJE (1, 2, 3) Comunigraf, 2006.

 

Lúcio Ferreira

Poeta, escritor, nasceu no Recife, Pernambuco em 29-04-1930. Bacharel em Ciências Econômicas, pela Universidade Federal de Pernambuco em 1978. Funcionário aposentado do Banco do Brasil.

Trabalhou sempre no setor rural, onde pôde , de algum modo, olhar o Homem – principalmente os pequenos camponeses – como era sua pretensão: orientando, convivendo, apoiando. Aprendeu com RILKE a ver e sentir à distância, melhor maneira de proteger a Humanidade.

Foi co-autor de “Reescrevendo contos de fada” (ficção). Organizou e participou de várias antologias: O Planeta feito Quintal- uma visão ecológica (Org.), com as escritoras Lourdes nicácio e Telma Brilhante; Poemas de Sal e sol (Ed.Micro- Benito Araújo); Terra da Poesia ( IMC – Cláudia Cordeiro e Antônio Campos); Panorâmica do Conto Nordestino (IMC – Cyl gallindo e Antônio Campos);Paisagens da Memória ( Novo Horizonte – Carlos Severiano Cavalcanti, Lourdes Nicácio e Silva e Telma Brilhante), além de revistas, jornais, sites e outras antologias.

Lúcio Ferreira  foi premiado pela Academia Pernambucana de Letras e outras instituições literárias. Recebeu homenagem da União Brasileira de Escritores na Livraria Cultura, 2009, em reconhecimento a sua contribuição à Literatura Pernambucana. Membro da Academia de Letras e Artes do Nordeste Brasileiro, Academia de Artes, Letras e Ciências de Olinda, Academia Recifense de Letras, União Brasileira de Escritores (UBE-PE). Sócio colaborador da Sociedade de Médicos Escritores, Pernambuco. Frequentou a Oficina Literária do escritor Raimundo Carrero e, sob a orientação do Prof. Sébastien Joachin, o Café Literário do Recife.

Ainda pela sua contribuição à divulgação da literatura pernambucana, foi homenageado pela Novo Horizonte  com a criação dos Cadernos de Literatura Poeta Lúcio Ferreira.

Da sua admirável fortuna crítica ressaltam-se depoimentos de autores como Raimundo Carrero, César leal, Fátima Quintas, Lourdes Sarmento, Maria do Carmo Barreto Campello de Melo, Mário Márcio entre outros.

Alguns dos depoimentos:

(…) A poesia de Lúcio Ferreira consagra o absoluto e só pode ser compreendida como uma prece, irmanada ao que vai além do que se vê, muito além, em um horizonte que jamais se poderá adivinhar. Basta-se a si mesma e preenche o difícil trajeto do que se chama existência; faz-se sangue e vinho no sopro intimista, no jogo que explode de dentro, na simplicidade das coisas verdadeiras. (…) A construção das suas imagens é um ato de amor, de esperança, de fé, uma vez que a crença em si ganha vigor ao verbalizar o não dito. As entrelinhas gritam o que está por acontecer, ah! belas entrelinhas, uma a uma, todas heroínas na possibilidade de vaticinar destinos. Aí, sim, as legiões de Anjos escutarão. E sob a sinfonia dos Anjos, à maneira de Rilke, o seu poema inscreve-se na alma e no corpo da humanidade – de mãos contritas, com o respeito que merecem as súplicas recitadas em voz sibilante, verseja a alegoria do amanhã. Mais uma prece. Amém.

Fátima Quintas, escritora, antropóloga, presidente da Academia Pernambucana de Letras ( 2014)

(…) Com a poesia pulsando no coração, Lúcio é uma das melhores vozes poéticas nestes últimos anos. Começou a publicar depois de um longo caminhar e não teve receios de abrir seu peito ao canto que nos enleva e afaga as tatuagens da Vida.

Lourdes Sarmento, poeta, escritora, membro da Academia Pernambucana de Letras

(…) Em Lúcio Ferreira percebe-se o saudável olhar do verdadeiro poeta, esse instrumento infalível, maravilhosa, de precisão inigualável; desse que condena, impiedoso, tudo que não se ajusta a sua verdade. Lembra Mallarmé quando diz: “Il faut lire, puis fermer le livre et écouter les vibrations des vers” (…). Em suas opções estéticas, Lúcio Ferreira, aos poucos e com muita originalidade, vem conquistando uma forma personalíssima de expressar-se poeticamente.

Mário Márcio, escritor, crítico literário, membro da Academia Pernambucana de Letras

(…) um poeta que tem uma visão muito especial do mundo, trabalhando com o silêncio e com o sagrado, compreendendo e amando muito mais do que gritando, com uma leveza de monge. Às vezes penso que Lúcio Ferreira não é deste mundo. Ou, pelo menos, deste mundo materializado e violento. Violentíssimo. Aqui ele não se encontra. Sua poesia tem toque de Manuel Bandeira: Bela, Bela. Me causa uma alegria imensa ser amigo deste escritor.

Raimundo Carrero, escritor, membro da Academia Pernambucana de Letras

Publicou os seguintes livros de Poesia:

  • Um olhar para Cada Coisa(1999)
  • Exercício do Sentir( 2000)
  • As duas Extremidades da Luz( 2001)
  • Linhas do Tempo (Hai – Kais- 2002)
  • Uma Porta Para Dentro da Pedra (2003)
  • As Reticências dos Sonhos ( 2003)
  • Estas Coisas Cá de Dentro( 2004)
  • Um Pouco Antes da Chuva (2006)
  • Epitalâmios para Elza (2006)
  • Às margens de um rio cereal (2006)
  • Um corte além do fio (2008)
  • O Pássaro e o Mapa ( 2012)
  • Ilhas sem Arquipélago ( 2014)

Lourdes Sarmento

Nasceu no Recife, Pernambuco.

Poeta, escritora, pesquisadora, biógrafa e jornalista é editada

por Vericuetos / Chemins Scabreux, em Paris; Editorial Francachela,

em Buenos Aires e Ediciones Alejo, em Lima.

Possui 26 livros publicados em português, inglês, francês e espanhol.

Participação em 135 antologias nacionais e internacionais, tendo trabalhos literários e jornalísticos apresentados em Washington e Miami (USA), Lima (Peru), na Cidade do México, Lisboa (Portugal) Buenos Aires (Argentina).

Organizou a antologia Poésie du Brésil publicada em Paris, 1997.

Segundo a professora Anne Marie Quint, da Sorbonne foi o primeiro

livro sobre poesia brasileira, publicado em Paris, após trinta anos de silêncio.

Juntamente com a poeta Beatriz Alcântara, do Ceará, organizou o Projeto Literatura dos Trópicos, reunindo 205 poetas de todo Norte e Nordeste do Brasil. O Projeto consta da publicação de três livros: Amor nos Trópicos, Águas dos Trópicos e Fauna e Flora nos Trópicos.

Lourdes Sarmento é poeta premiada em Pernambuco, Rio de Janeiro, Minas Gerais e detentora de numerosas homenagens no Brasil.

Pertence a várias Academias de Letras e Associações Nacionais e Internacionais:

Academia Pernambucana de Letras; de Letras e Artes do Nordeste

Brasileiro; de Artes e Letras de Pernambuco; da Recifense de Letras; de Poesia de Petrópolis- Rio de Janeiro; Carioca de Letras- Rio de Janeiro; de Estudos Literários e Linguísticos (Anápolis – Goiás); da Associação Internacional de Escritores e Jornalistas (México); da União Brasileira de Escritores de Pernambuco e da União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro.

Muito jovem, criou vários Movimentos Culturais no Recife, juntamente com amigos. O Movimento de Arte Educacional em PE marcou presença no trabalho de intercâmbio com artistas do Brasil, destacando- se a exposição de desenhos de Di Cavalcanti e criação de três Galerias de Artes nos Colégios: Damas, Salesiano e Marista.

Foi Presidente de algumas Associações com objetivo de educar, incentivando o gosto pela leitura e exposições de artes plásticas.

Na empresa Telecomunicações de Pernambuco S/A, trabalhou 23 anos como assessora de imprensa e conseguiu realizar um movimento cultural, com intercâmbio entre funcionários da TELPE e Academias de Letras. Faz parte, como fundadora, do Movimento em Defesa do livro Nordestino.

No Rotary Encanta Moça é responsável pelo Café Literário, entre outras atividades literárias. É sócia fundadora e foi Presidente em 2011/ 2012.

>> Livros da autora:

Poemas do Despertar – Editora Nordeste, Recife, 1965.

Explosão das Manhãs – Poesia – Editora Americana, Rio, 1973.

Pequena História da Telefonia em Pernambuco – Pesquisa – CEPE, Recife, 1980.

Primórdios da Comunicação – Pesquisa sobre a antropologia das comunicações – Editora TELEBRASIL, Rio, 1981.

Early Stages in Communication – Pesquisa – Editora TELEBRASIL, Rio, 1981.

Janela – Crônica – Assessoria Editorial do Nordeste, Recife, 1984.

A Palavra e as Circunstâncias – Ensaio – Assessoria Editorial do Nordeste, 1985.

Tatuagens da Solidão – Poesia – Editora Comunicarte, Recife, 1991.

Sedução da Arte em Vera Bastos – Ensaio Biográfico – Editora Bagaço, Recife, 1993;

Vingt-Cinq Poèmes de Passion – Poesia – Editora Bagaço, 1994, lançado pela UNESCO, em Paris/94.

Alcides Lopes – Nas Estações do Tempo – Biografia – Editora Comunicarte, Série Imprensa Pernambucana, 1994.

Poésie Du Brésil – organizada por Lourdes Sarmento – Panorama da Poesia Brasileira, Editora Vericuetos / Chemins Scabreux, Paris, septembre, 1997.

José de Souza Alencar – Alex – O Artesão de Palavras – Biografia – Perfis Pernambucanos – 8 – da Associação da Imprensa de Pernambuco – Editora CEPE, 1998.

Amor nos Trópicos – Ensaios e Seleta de Poetas Contemporâneos – organização em parceria com a escritora Beatriz Alcântara – Universidade Federal do Ceará, com o apoio da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará – SECULT – 2000.

Águas dos Trópicos – Ensaio e Seleta de Poemas dentro do Projeto de Literatura dos Trópicos – organização em parceira com a escritora Beatriz Alcântara – Editora Bagaço – Recife – com o apoio da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará,2000.

Olhos de Tigre – Poesia – Editora Bagaço, 2001, Prêmio Dulce Chacon, da Academia Pernambucana de Letras e Prêmio Alexandro Cabassa, Hors Concurs em Poesia, pela União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro, 2002.

Fauna e Flora nos Trópicos – Ensaios e Seleta de Poemas dentro do Projeto de Literatura dos Trópicos – organização em parceria com a escritora Beatriz Alcântara – SECULT – Ceará– 2002.

Guardiã das Horas – Poesia – Cia. Editora Pacífica – Recife, 2003, Prêmio Manuel Bandeira para Poesia – Rio de Janeiro, 2003 e Prêmio Feminino de Poesia Lacyr Schettino – da Academia Feminina de Letras de Minas Gerais – Classificação: 2º lugar, Belo Horizonte, Minas Gerais, 2004.

A Poesia é Eterna – em parceria com os poetas Waldemar Lopes, Dirceu Rabelo, Francisco Bandeira de Mello e Aluízio Furtado de Mendonça, Assessoria Editorial do Nordeste, Recife, 2003.

7 Cartas e uma Confissão de Amor – Prosa e Poesia – Editora Comunigraf – Recife, 2004.

Rituales del Deseo – Edición bilíngue – español – português – Editorial Francachela – Buenos Aires – Argentina – 2005.

Prêmio Yone Rodrigues da União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro, 2006.

El Tiempo de las Ofrendas – español – Ediciones, Alejo – Lima – Peru – 2007.

Alegria – primeiro livro infanto-juvenil – Editora Novo Horizonte, Recife-PE, 2008.

Ceias de Natal e outras Ceias – prosa e gastronomia em parceria com a escritora Laura Areias – Editora Bagaço – Recife -PE, 2008.

50 Poemas Escolhidos Pelo Autor – Vol. 43 – Coleção organizada por Waldir Ribeiro do Val – Edições Galo Branco – Rio de Janeiro- 2009. Prêmio Carlos Ribeiro, da UBE-RJ – 2009.

Liberdade de Pássaro – Poesia – Editora Bagaço – Recife – 2014.

O Segredo das Acácias – Poesia – Edições Novo Horizonte, 2017.

>> Antologias:

A autora participa de 135 antologias nacionais e internacionais.

Antologias Internacionais:

PARIS – FRANÇA

ÉCRITURES DU PÉROU – Paris, avril, 1995 – Vericuetos –

Chemins Scabreux (Pòetes invités – France – Bernard Noël; BRÉSIL –

Lourdes Sarmento; Allemagne – Katharina Schäfer)

(Sarmento, Páginas 120 a 135)

JALONS – 68 – NANTES – FRANCE – 2000.

Realisation du Cahier: Cristiane Mestas et Jean-Paul Mestas.

(Sarmento, página 17)

BRÉSIL 500 ANS – JALONS – Cahier Particulier – Realisation:

Christiane Mestas et Jean-Paul Mestas. 

(Sarmento, página 22)

SÉQUENCES XLVII – Número 47 – Club Poètes Présents.

(205 Poètes Contemporains) – CARNAC – FRANCE – 2006.

(Sarmento, página 404).

LE PRINTEMPS DU BRÉSIL – JEAN PAUL MESTAS E CHRISTIANE MESTAS

Jalons Hors Série – Août 2012 – PARIS- 2002.

(Sarmento, página 8)

PORTUGAL

POETAS REVISITAM PESSOA

Org. João Alves das Neves

Antologia de Autores Portugueses e Brasileiros. Universitária

Editora. Lisboa – Portugal – 2003.

(Sarmento, página 71)

POVOS E POEMAS – PEUPLES ET POÈMAS – português e francês

Antologia de Jean-Paul Mestas – Universitária Editora – 2003.

Lisboa – Portugal.

(Sarmento, páginas 104, 105 e 106).

LIMA – PERU

ANTOLOGIA INTERNACIONAL DE POESIA AMOROSA

Compilación de Santiago Risso – ALEJO EDICIONES – LIMA

– PERU – 2006.

(Sarmento, página 100).

Joya – Florilegio de escritores iberoamericanos contemporâneos

Compilación de Santiago Risso – Alejo Ediciones – Lima- Perú

– 2010.

(Sarmento, páginas 81, 82, 83, 84, 85, 86).

TRANSBRASILIANA – 36 MUJERES POETAS DE BRASIL –

Vargas Y MIRANDA ( Compiladores) – MARIBELINA – Casa

Del Poeta Peruano – Lima – Perú – 2012. (Sarmento, páginas

97, 98, 99, 100).

>> Verbetes:

Dicionário Biobibliográfico de Poetas Pernambucanos

elaboração Lamartine Morais – Fundarpe – Recife – 1993.

Verbete na Enciclopédia de Literatura Brasileira – Afrânio

Coutinho e J. Galante de Sousa – Volume II – Co-edição Global

Editora / Fundação Biblioteca Nacional / DNL e Academia

Brasileira de Letras – São Paulo – 2001;

Verbete no Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras – organizado

por Nelly Novaes Coelho – Editora Escrituras – São

Paulo – 2002.

DICIONÁRIO DE MULHERES – Organização de HILDA AGNES

HÜBNER FLORES – EDITORA MULHERES – 2ª EDIÇÃO

– Florianópolis- 2011.

>> Monografia:

A Força do Sensualismo Erótico nas Poesias de Lourdes Sarmento

foi Monografia apresentada por Patrícia Cristina Apolinário

Leal, para obtenção do Título de Especialista em Literaturas

de Expressão Portuguesa – Fundação Universidade de Pernambuco

– UPE

Curta metragem

Participou de um Curta Metragem: POETAS & PROSADORES

DE PERNAMBUCO, Roteiro e Direção do Professor Valdir Oliveira.

>> Peça de teatro:

LOURDES SARMENTO: A POETA NUM SORRISO SOBRE O

OCEANO, COM POEMAS VESTIDOS DE AMOR, NO PROJETO

OS” POETAS DA TERRA” COM O OBJETIVO DE DIVULGAR

A ARTE POÉTICA, DE CARÁTER EDUCATIVO, CULTURAL

E SOCIAL. SOB A ORIENTAÇÃO DE FLÁVIO SANTOS

E DIREÇÃO DO ESPETÁCULO de Samuel Santos, em 2005.

Além da apresentação no SESC de Santo Amaro a peça foi

apresentada em outros dois teatros, no Recife.

>> Poemas na Espanha:

LOURDES SARMENTO FAZ PARTE DOS POETAS

SIGLO XXI – ANTOLOGIA DE POESIA MUNDIAL + 19.000

POETAS, EM “viernes, 25 de septiembre de 2015. Editor: Fernando

Sabido Sánchez. Com páginas ilustradas pelas capas de alguns livros, a maioria

dos seus poemas são publicados em espanhol.

EDUARDO GOMES

eduator@gmail.com   –   (Cel.: 99981-7920)                                                                                       

José Eduardo Gomes da Silva é recifense, nascido em onze de novembro de mil novecentos e oitenta e três, no bairro do Coque, de onde se mudou aos dezesseis anos para a Zona Norte do Recife. Estudando no Ginásio Pernambucano, ainda aos dezesseis anos, foi monitor de Literatura Teatralizada no Projeto Arte e Vida, que tinha por professora a poetisa e acadêmica pernambucana Maria do Carmo Barreto Campello de Melo.

Mais à frente se tornou o professor titular da disciplina no mesmo Projeto, substituindo a Mestra, a pedido da mesma. Realizou recitais poéticos em diversos locais e ocasiões, especialmente em lançamento de livros de grandes escritores e poetas pernambucanos, como Lourdes Nicácio e Silva, Ladjane Conolly Gomes, Gustavo Arruda, Marly Mota, Loudes Sarmento entre tantos outros, além de diversas Antologias prosódicas e poéticas. Publicado em duas edições do Jornal Ponto de Encontro, por Aluízio Furtado de Mendonça, inaugurando a seção “Os Novos Escritores (ficção)” do mesmo jornal.

É Cientista Social, formado pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE; pedagogo, pela Universidade de Pernambuco – UPE; Pós Graduado em Educação; Ator Profissional. Atualmente cursa a terceira graduação (Licenciatura em Letras – Português, na UFPE); professor titular da disciplina de Literatura do Colégio da Polícia Militar de Pernambuco e funcionário público.

Em 2016 publicou o primeiro livro de poesias: “Mosaico de Sensações”, com orelha de Lourdes Nicácio, Prefácio de Lourdes Sarmento e capa de José de Moura.

Membro da Academia de Letras do Brasil – ALB, ocupante da cadeira nº 26, tendo como patronesse a Acadêmica Maria do Carmo Barreto Campello de Melo.

Membro da Sociedade dos Poetas Vivos de Olinda – SPVO.

Assina coluna de poesia na Revista de Literatura Novo Horizonte.

RACHEL CARRILHO

Maria RACHEL de Macedo e CARRILHO, nascida Maria Rachel de Barros Macedo a 09/08/1926, na Ilha de Itamaracá-PE. Filha de Cunegundes Hemetério Theodoro de Macedo e Desidéria de Barros Macedo.

Estudou, do então Curso Primário, à conclusão do Curso de Professora, no Colégio da Sagrada Família. Diplomou-se em Educação Física pela Escola Superior e fez cursos de pintura, turismo e outros.

É autora do livro de poemas Na Leveza do Sonho, publicado em 2006; À Sombra do Roseiral, 2008; Enquanto a luz não se apaga, 2009, Quando os ventos cantam madrigais, 2011, Nas asas da recordação, 2012.

 Publicou outros trabalhos, inclusive no livro: Beatificacion de Juan Napomuceno Zegri y Moreno, fundador de las Hermanas Mercedárias de la Caridad, editado pela Tipografia Vaticana, Roma, em 09 de Novembro de 2003.

 Participou das Antologias: Antologia das Águas, 2007 – organizada por Lourdes Nicácio, Graça e Silva, Ricardo Japiassu e Raphaela Nicácio –, Antologia O Fim da Velhice, organizada por Jacques Ribemboim e Dulce Albert, Agendas do Poeta( 2008/ 2009) organizadas por Salete Rêgo Barros.

Participou ainda de outras antologias, a exemplo de O Planeta Feito Quintal (2009), Paisagens da Memória, 2010, organizadas pelos escritores Lourdes Nicácio, Lúcio Ferreira, Telma Brilhante e Carlos Severiano Cavalcante e Ceias de Natal e outras ceias, 2008, organizada pelas escritoras e jornalistas Laura Areias e Lourdes Sarmento, Lendas do Nordeste, 2014, por Bartyra Soares, Lourdes Nicácio e Raphaela Nicácio.

Tem trabalhos publicados na internet, na Coletânea da Oficina Literária de Iniciação dos Poetas Vivos de Olinda (2008 a 2010) e na Revista News, do escritor e jornalista Tavares de Lima e no jornal de Literatura Novo Horizonte.

Foi casada com o farmacêutico Arnaldo Fraga, de quem tem um filho, Raul Fraga Neto, e em segunda núpcias com Eymard Dantas Carrilho, advogado e Auditor Fiscal do Tesouro Nacional.

Rachel Carrilho foi, também, Delegada de Menores
(Aeroporto dos Guararapes, década de 80) e como pesqui-
sadora sobre o porquê dos nomes dos municípios pernambucanos.

Atuou como membro  fundador, e idealizadora, do “Café com Poesia”, um programa da biblioteca da Assembleia Legislativa de Pernambuco.

Primeira escritora homenageada – Diploma Mérito Cultural – pelo Programa Jardim das Letras da União Brasileira de Escritores-UBE-PE. 

Mereceu homenagens de várias instituições educativas e culturais, a exemplo da Novo Horizonte que a incluiu no programa dos seus autores estudados, durante  encontros programados com estudantes, professores e escritores.

Membro do Conselho de Cultura da Prefeitura da Cidade do Recife; da Sociedade dos Poetas Vivos de Olinda; da União Brasileira dos Escritores, onde foi diretora e coordenou “Quinta do Amor”, um programa a serviço da justiça, dignidade e bem-estar social; Academia de Letras do Brasil-PE; Academia Recifense de Letras, instituição que lhe concedeu a Comenda Santelmo Honra ao Mérito Cultural. Agraciada pela Associação Internacional dos Escritores e Artistas com a Comenda Floriano Peixoto.